Fonte: [+] [-]





MFL 2017 – Mostra do Filme Livre




*AFONSO É UMA BRAZZA

Por Cid Nader

Afonso É uma Brazza (curta)
Direção: Naji Sidki, James Gama
Duração: 10min.
UF/Ano: DF/2016

Quando diante da possibilidade de um doc sobre figura tão pitoresca quanto foi Afonso Brazza – ator e diretor ultraindependente, bombeiro e algo mais -, que pelos maiores períodos de sua carreira trabalhou e transitou por Brasília, suas ruas e gramados, para confeccionar um cinema que era da mais pura matiz trash, ao modelo do que sempre foi comum em algumas cinematografias paralelas e contestadoras às que eram bem estabelecidas, vindo do local de origem dele, algo que se insinua como trabalho louvatório basicamente deixa-nos de orelhas e atenções em pé. Até porque, um certo pregresso de docs locais levavam a crer na pouca dedicação ao que deveria carregar consigo a alma do cinema bem executado: saiba-se lá, mas críticos de cinema não deveriam ser valer de sentidos.

Sentidos e percepções que felizmente estavam equivocados, o que foi sendo constatado durante a exibição aqui no Festival de Brasília: com evidente apreensão e carinho da plateia. Os diretores Naji Sidki, James Gama souberam como raras vezes aproveitar o farto material que tinham nas mãos (o trabalho foi iniciado no ano de 1999), ajuntá-los em edição precisa e bastante dinâmica – meio que seguindo o padrão de dinamismo e velocidade impostos nos filmes do retratado – numa variação constante de trechos de filmes do Brazza, de alguns poucos depoimentos (o que sempre cai bem em docs), mas importantes demais como costuras, e momentos de filmagens do diretor, onde se notava a precariedade, e inventividade dele para soluções (gostar ou não do resultado de seus trabalhos são outros quinhentos).

Valoriza mais ainda do que os caminhos das emendas e variedade de materiais utilizados os instantes em que é recordada sua estada na Boca do Lixo, em São Paulo, quando conheceu sua futura mulher, principalmente pelo tom de saudades quando conta da passagem, e pelas belíssimas fotos daquele instante mágico do cinema paulistano. Há diversidade e bastante carinho em toda a construção: e surpresa no resultado.




*Voltar à página inicial da cobertura




* Site do Evento