ÁGUA NEGRA:


Fonte: [+] [-]
Original: Dark Water
País: EUA
Direção: Walter Salles
Elenco: Jennifer Connelly, John C. Reilly, Tim Roth, Dougray Scott, Pete Postlethwaite, Ariel Gade
Duração: 105 min.
Estréia: 12/08/2005
Ano: 2005


Água Negra: Dark Walter


Autor: Fábio Yamaji

Não, este não é um filme autoral de Walter Salles. É um filme comercial hollywoodiano, onde o produtor tem a palavra final. E trata-se de adaptação de um filme japonês, que tem como intuito mastigá-lo para o grande público. Por isso entendo "Água Negra" somente como uma experiência de Salles no american way of filmmaking, antes de encarar a honrosa tarefa de adaptar o clássico "On The Road" - do beatnik Jack Kerouac - para a telona, com produção de Coppola.

Mesmo assim Waltinho contribui significativamente para o filme, na clareza de sua decupagem (auxiliado por dois brasileiros em funções chave: o fotógrafo Affonso Beato e o montador Daniel Rezende) e na complexa construção da personagem de Jennifer Connelly - e sua relação com a mãe no passado e a filha no presente. Estes aspectos mantém o interesse num filme sem sustos recorrentes, mas com tensão progressiva. Algo na linha de "Os Outros" ou "A Vila", obviamente em menores proporções.

O competente elenco, que inclui ainda John C. Reilly, Tim Roth, Dougray Scott e Pete Postlethwaite, também contribui pra legitimar uma história sem muito poder de fogo pra longa-metragem. Humaniza as relações com a bela Jennifer - pro bem e pro mal - e faz contraponto ao perturbador apartamento onde a história se passa, que é tratado como um personagem. Algo como visto recentemente em "Quarto do Pânico", de David Fincher (que também acompanha o drama de mãe e filha num ambiente escuro, desconfortável e descontrolado).

Vale a visita. Não deixa grandes impressões mas cutuca as idéias. E isso é suficiente. Com água corrente em quase todas as cenas (na forma de chuvas, goteiras, torneiras, máquinas-de-lavar), "Água Negra" tem alto efeito diurético, algo já comprovado nos filmes molhados do malaio Tsai Ming-Liang. Por isso, faça xixi antes de ver o filme. E feche bem a torneira depois de lavar as mãos.
Leia também:


“Água negra” é um bom meio filme