WOLF CREEK - VIAGEM AO INFERNO:


Fonte: [+] [-]
Original: Wolf Creek
País: Austrália
Direção: Greg McLean
Elenco: Peter Alchin, John Jarratt, Cassandra Magrath, Andy McPhee, Kestie Morassi e Guy Petersen.
Duração: 99 min.
Estréia: 03/02/2006
Ano: 2005


Já vi esse filme


Autor: Laura Cánepa

"Viagem ao Inferno" do diretor estreante Greg Mclean, parte de uma idéia engenhosa: o filme reproduz a história (pra lá de mal) contada por um rapaz preso pela morte de duas moças inglesas no deserto da Austrália. Ele teria sido, segundo sua própria versão, o único sobrevivente de um terrível massacre cometido por um serial-killer que roda pelo interior do país em busca de turistas para trucidar.

De fato, seria até bacana ver o filme só para ficar imaginando como um menino tão jovem bolou uma seqüência de acontecimentos tão inesperada e absurda... a não ser pelo fato de que ele deve assistido a "O Massacre da Serra Elétrica" umas 300 vezes - e esse filme todo mundo já viu. Aliás, em duas ótimas versões: uma de 1974, dirigida por Tobe Hopper, e outra de 2003, dirigida por Marcus Nispel.

A história contada em "Viagem ao Inferno" é, sem dúvida, muito parecida com aquela eternizada no filme dos anos 70: alguns amigos andam pela estrada deserta na maior farra, passam por alguns momentos tensos e acabam precisando de ajuda. Então, são auxiliados por um cara bem esquisito, que mora numa cidade abandonada e se revela um colecionador de cadáveres, carros e memorabilia de turistas incautos. A principal diferença do filme atual para os anteriores é que, desta vez, o assassino age sozinho. Mas alguém duvida que Leatherface, o vilão de "O Massacre...", desse conta do serviço sem a ajuda daquela família doida?

Se esquecermos essa semelhança toda, porém, e nos deixarmos levar pelo filme, podemos encontrar momentos interessantes. O diretor sabe enquadrar com muita habilidade as belas paisagens da Austrália, há uma boa construção da tensão e, sobretudo, há uma leveza nos movimentos de câmera (quase sempre na mão) e um olhar para os personagens que dão um clima bastante especial, sobretudo na primeira meia hora. "Viagem ao Inferno" também escapa de ser uma matança pura e simples pelo fato de seus personagens serem dotados de um mínimo de inteligência - apesar do pouco repertório cultural, pois, se eles tivessem assistido ao clássico de Tobe Hopper, talvez não tivessem entrado naquela roubada...

O filme também é um raro exemplar do cinema de horror australiano, que mostra, a partir dele, alguma vitalidade. Nada que se compare, porém, aos filmes de horror do vizinho neo-zelandês Peter Jackson, na década passada. Na verdade, essa estréia de Greg Mclean lembra mais um exercício de direção do que propriamente um longa-metragem com algo a dizer. Talvez fosse diferente se este filme tivesse sido lançado antes de 2003, ou seja, antes da versão ultra-explícita de "O Massacre..." dirigida por Marcus Nispel. Mas, nas atuais circunstâncias, é apenas mais do mesmo.

Leia também:


Sai pra lá picareta