Insolação:


Fonte: [+] [-]
Original: Idem
País: Brasil
Direção: Felipe Hirsch, Daniela Thomas
Elenco: Paulo José, Antonio Medeiros, Simone Spoladore, Leonardo Medeiros.
Duração: 101 min.
Estréia: 26/03/2010
Ano: 2009


Tenta falar a outros sentidos. Creio que não consegue.


Autor: Cid Nader

Filme inspirado em contos russos do século XIX, transpostos para o serrado brasileiro, sob sol causticante e discutindo desertos amorosos. Uau! É difícil pensar em coisa que tente falar de histórias que se entrelaçam sem fio detectável para conduzir minimamente o espectador por ideias e tristezas desoladas de seus protagonistas. A intenção de utilizar Brasília, sua estranheza, e a secura da região como parâmetros fixos, palpáveis, de sentimentos desconexos e estilhaçados de seres humanos que não vêem rumos ou futuro palatável, parece bastante pertinente como opção dos diretores Felipe Hirsch e Daniela Thomas.

Mas dois “dramas” extra-tela acabam por dominar as atenções, evitando uma imersão mais significativa e dedicada no filme: a frieza (parece contraditório o termo em meio a tanto calor) aplicada pela ostentação do cenário excludente, e o embaralhamento sem concessão dos personagens. Resta a impressão de que a intenção é a de um filme hermético demais e que discursa somente – ou quase – a seus pares e idealizadores. A angústia é evidente: e ultrapassa a tela, impregnando nossas mentes. A sensação de que não há qualquer tipo de salvação ou alívio consideravelmente fácil, também, Sim: se a intenção era mesmo a de jogar pra baixo quem assiste ao filme, por mecanismos mesmo que de pouca compreensão aflorada, isso se concretiza.

Não é trabalho de “compreensão”: é de sentidos – obviamente fala às nossas compreensões atávicas. Corrido tal risco, resta saber se o que toca a gente acabará ficando como marca a ser considerada algum tempo depois de vista a exibição. Até o momento, passadas poucas horas do fato, não. A frieza parece ter congelado as memórias que deveriam aflorar do trabalho. O que mais marca e impregna (angustia um tanto, também) de modo próximo é a atuação cada vez mais emocionante – ao mesmo tempo, questionável, já que fica uma sensação de exploração de suas deficiências, se bem que ele mesmo tem feito questão de falar de suas participações ininterruptas em filmes, consciente disso – de Paulo José. Sua figura aglutina sempre favoravelmente e, nesse caso, faz crer mais candidamente nos olhares perdidos, e que buscam, dos atores do resto da trama.

Leia também: