Os dez melhores do ano de 2011, e algo mais...







1 - Os dez melhores do ano de 2011, e algo mais...

Neste ano de 2011 a proposta foi a de citar alguns fatos a mais do que “somente” elegermos nossos preferidos. Nada de mais detalhado ou analisado não – análises mais esmiuçadas estão já nas críticas dos filmes, largadas durante todo o ano pelo site -, mas curiosidades que mereceriam algum destaque, num ano que foi farto em novidades.

Não dava para simplesmente deixar de lado a quantidade enorme de festivais e mostras que têm tomado conta de alguns espaços específicos em São Paulo, e consequentemente mantido a cinefilia em estado de atenção e alerta. Temos lucrado muito com essa quantidade: ou como modo de revelação de cineastas que não têm fácil divulgação, ou – e melhor ainda – por oferecer inúmeras vezes a chance de constatarmos em tela grande (e quase sempre em película) filmes que só conhecíamos das madrugadas televisivas, ou nos salvadores computadores atuais.

Além do mais, ao contrário do que os poucos atentos pregam, houve a constatação de que nosso cinema brazuca anda muito bem das pernas (talvez não possamos dizer o mesmo de nosso futebol). A possibilidade que a Vitrine Filmes ofereceu para um maior acesso aos trabalhos dos coletivos (em sua maioria, e como ideia de uma solução bem interessante quanto a caminhos a serem tentados) revelou trabalhos tremendamente bons, que só eram vistos em alguns poucos festivais e que, pelo jeito, tocaram a sensibilidade de nossos colaboradores: resta ver se essa ação quase quixotesca da Vitrine não sucumbirá ante as evidentes dificuldades passadas nesses primeiros instantes de empreitada.

O que oferecemos, portanto, é como se fosse um passatempo interessante para esses dias de festa em que não há muito mesmo o que se fazer: mas que, com certeza, nota-se carregar alguns traços interessantes para serem discutidos e ampliados. Bom proveito!

P.S.: ainda entrarão algumas listas.



Tio Boonmee


2 - Cesar Zamberlan

Melhores do Ano

01) Tio Boonmee, que Pode Recordar Suas Vidas Passadas [Lung Boonmee Raluek Chat, Espanha/França/Alemanha/Reino Unido/Tailândia, 2010], de Apichatpong Weerasethaku.
02) Cópia fiel [Copie Conforme, França/Itália/Irã 2010], de Abbas Kiarostami.
03) A Fuga da Mulher Gorila [Brasil, 2009], de Felipe Bragança e Marina Meliande.
04) Estrada para Ythaca [Brasil, 2010], de Guto Parente, Luiz Pretti, Pedro Diógenes, Ricardo Pretti.
05) Turnê [Tournée, França, 2010], de Mathieu Amalric.
06) Transeunte [Brasil, 2010], de Eryk Rocha.
07) Riscado [Brasil, 2010], de Gustavo Pizzi.
08) Meia-Noite em Paris [Midnight in Paris, EUA/Espanha, 2011], de Woody Allen.
09) A Pele que Habito [La Piel que Habito, Espanha, 2011], de Pedro Almodóvar.
10) Não se Pode Viver sem Amor [Brasil, 2010], de Jorge Durán.

Melhor Brasileiro

- A Fuga da Mulher Gorila [Brasil, 2009], de Felipe Bragança e Marina Meliande.

O fato mais importante do ano do ponto de vista cinematográfico

- Sessão Vitrine
- Mostra Bela Tarr no Indie SP

O filme mais importante do ano

- Satantango, de Bela Tarr: na mostra Bela Tarr do Indie 2011.



Tio Boonmee...


3 - Cid Nader

Melhores do Ano

01) Tio Boonmee, que Pode Recordar Suas Vidas Passadas [Lung Boonmee Raluek Chat, Espanha/França/Alemanha/Reino Unido/Tailândia, 2010], de Apichatpong Weerasethaku.
02) A Árvore da Vida [The Tree of Life, EUA, 2009], de Terrence Malick.
03) Além da Vida [Hereafter, EUA, 2010], de Clint Eastwood.
04) Cópia Fiel [Copie Conforme, França/Itália/Irã 2010], de Abbas Kiarostami.
05) O Garoto da Bicicleta [Le Gamin au Vélo, Bélgica 2011], de Jean-Pierre e Luc Dardenne.
06) Riscado [Brasil, 2010], de Gustavo Pizzi.
07) Singularidades de Uma Rapariga Loira [Portugal/França/Espanha, 2009], de Manoel de Oliveira.
08) Os Residentes [Brasil, 2010], de Thiago Mata Machado.
09) Os Monstros [Brasil, 2011], de Guto Parente, Luiz Pretti, Pedro Diógenes e Ricardo Pretti.
10) A Alegria [Brasil, 2010], de Felipe Bragança e Marina Meliande.

Melhor brasileiro

- Riscado [Brasil, 2010], de Gustavo Pizzi.

O fato mais importante do ano do ponto de vista cinematográfico

- A criação da Vitrine Filmes: um tremendo e bem-vindo ato insano).
- A Caverna dos Sonhos Perdidos [Cave of Forgotten Dreams, Alemanha/Fraça/Canadá/Reino Unido/EUA, 2010], de Werner Herzog: finalmente explicando a razão de ser do 3D.

O filme mais importante do ano

- O Cavalo de Turim [A Torinói Ló], de Bela Tarr: na mostra Bela Tarr do Indie 2011.



Bravura Indômita


4 - Fábio Yamaji

Melhores do Ano

01) Bravura Indômita [True Grit, EUA, 2010], de Joel e Ethan Coen.
02) O Garoto da Bicicleta [Le Gamin au Vélo, Bélgica 2011], de Jean-Pierre e Luc Dardenne.
03) Incontrolável [Unstoppable, EUA, 2010], de Tony Scott.
04) Super 8 [EUA, 2011], de J.J. Abrams.
05) Meia-Noite em Paris [Midnight in Paris, EUA/Espanha, 2011], de Woody Allen.
06) Cópia Fiel [Copie Conforme, França/Itália/Irã, 2010], de Abbas Kiarostami.
07) Um Lugar Qualquer [Somewhere, EUA, 2010], de Sofia Coppola.
08) O Mágico [L’Illusionniste, França/RU, 2010], de Sylvain Chomet.
09) A Árvore da Vida [The Tree of Life, EUA, 2009], de Terrence Malick.
10) Um Conto Chinês [Un Cuento Chino, Argentina, 2011], de Sebastián Borensztein

Melhor Brasileiro

- Riscado [Brasil, 2010], de Gustavo Pizzi.

O fato mais importante do ano do ponto de vista cinematográfico

- Mostra Hitchcock no Cinesesc.

O filme mais importante do ano

- Paths Of Hate, de Damian Nenow, Polônia (Anima Mundi).



Tio Boonmee...


5 - Fernando Oriente

Melhores do Ano

01) Tio Boonmee, que Pode Recordar Suas Vidas Passadas [Lung Boonmee Raluek Chat, Espanha/França/Alemanha/Reino Unido/Tailândia, 2010], de Apichatpong Weerasethaku.
02) Adeus, Primeiro Amor [Um Amour de Jounesse, França, 2011], de Mia Hansen-Love.
03) Singularidades de uma Rapariga Loura [Portugal, 2009], de Manoel de Oliveira.
04) Estrada para Ythaca [Brasil, 2010], de Guto Parente, Luiz Pretti, Pedro Diógenes, Ricardo Pretti.
05) Cópia Fiel [Copie Conforme, França/Itália/Irã, 2010], de Abbas Kiarostami.
06) Os Residentes [Brasil, 2010], de Tiago Mata Machado.
07) Os Monstros [Brasil, 2011], de Guto Parente, Luiz Pretti, Pedro Diógenes, Ricardo Pretti.
08) Isto não é um Filme [This is Not a Film/ In Film Nist, Irã, 2011], de Jafar Panahi.
09) A Pele que Habito [La Piel que Habito, Espanha, 2011], de Pedro Almodóvar.
10) Transeunte [Brasil, 2011], de Erik Rocha.

Melhor Brasileiro

- Estrada para Ythaca [Brasil, 2010], de Guto Parente, Luiz Pretti, Pedro Diógenes, Ricardo Pretti.

O fato mais importante do ano do ponto de vista cinematográfico

- Mostra Béla Tarr, no Indie 2011.

O filme mais importante do ano

- Numéro Deux [França, 1975], de Jean-Luc Godard.



Transeunte


6 - Gabriel Carneiro

Melhores do Ano

01) Transeunte [Brasil, 2010] de Eryk Rocha.
02) Reencontrando a Felicidade [Rabbit Hole, EUA, 2010], de John. Cameron Mitchell.
03) Cisne Negro [Black Swan, EUA, 2010], de Darren Aronofsky.
04) Tio Boonmee, que Pode Recordar suas Vidas Passadas [Lung Boonmee Raluek Chat, Tailândia, 2010], de Apichatpong Weerasethakul.
05) Pânico 4 [Scream 4, EUA, 2011], de Wes Craven.
06) Homens e Deuses [Des Hommes et Des Dieux, França, 2010], de Xavier Beauvois.
07) Balada do Amor e do Ódio [Balada Triste de Trompeta, Espanha/França, 2010], de Alex de La Iglesias.
08) Trabalhar Cansa [Brasil, 2011], de Juliana Rojas e Marco Dutra.
09) Bravura Indômita [True Grit, EUA, 2010], de Joel e Ethan Coen.
10) O Mágico [L’Illusionniste, França/RU, 2010], de Sylvain Chomet.

Melhor Brasileiro

- Transeunte [Brasil, 2010] de Eryk Rocha.

O fato mais importante do ano do ponto de vista cinematográfico

- Mostra Hitchcock no Cinesesc.
- Sessão Vitrine
.

O filme mais importante do ano

- Clamor do Sexo [Splendor in the Grass], de Elia Kazan: na Mostra Internacional de Cinema de São Paulo.



Poesia


7 - H. Hirao

Melhores do Ano

01) Poesia [Shi, Coreia do Sul, 2010], de Lee Chang-dong.
02) Homens e Deuses [Des Hommes et Des Dieux, França, 2010], de Xavier Beauvois.
03) Um Conto Chinês [Un Cuento Chino, Argentina, 2011], de Sebastián Borensztein.
04) O Palhaço [Brasil, 2011], de Selton Mello.
05) Meia-Noite em Paris [Midnight in Paris, EUA/Espanha, 2011], de Woody Allen.
06) Lixo Extraordinário [Brasil, 2010], de João Jardim, Karen Harley e Lucy Walker.
07) A Pele que Habito [La Piel que Habito, Espanha, 2011], de Pedro Almodóvar.
08) Balada do Amor e do Ódio [Balada Triste de Trompeta, Espanha/França, 2010], de Alex De La Iglesia.
09) O Homem ao Lado [El Hombre de al Lado, Argentina, 2009], de Mariano Cohn, Gastón Duprat.
10) Rio [EUA, 2011], de Carlos Saldanha.

Melhor Brasileiro

- O Palhaço [Brasil, 2011], de Selton Mello.

O fato mais importante do ano do ponto de vista cinematográfico

- O fechamento do “Cine Belas Artes” e a grande mobilização popular em sua defesa e reabertura, que ainda continua, quase um ano depois.

O filme mais importante do ano

- Sessão “The Dark Side of the Rainbow” no Cinesesc (exibição do filme “O Mágico de Oz” acompanhado pelo disco The Dark Side of the Moon, do Pink Floyd, confirma uma das mais famosas lendas urbanas).



A Pele que Habito


8 - Leandro C. Carça

Melhores do Ano

01) A Pele que Habito [La Piel que Habito, Espanha, 2011], de Pedro Almodóvar.
02) Homens e Deuses [Des Hommes et Des Dieux, França, 2010], de Xavier Beauvois.
03) Bravura Indômita [True Grit, EUA, 2010], de Joel e Ethan Coen.
04) O Mágico [L’Illusionniste, França/RU, 2010], de Sylvain Chomet.
05) Cisne Negro [Black Swan, EUA, 2010], de Darren Aronofsky.
06) Meia-noite em Paris [Midnight in Paris, EUA/Espanha, 2011], de Woody Allen.
07) Um Sonho de Amor [Io sono l'amore, Itália, 2009], de Luca Guadagnino.
08) Poesia (Shi, Coréia do Sul, 2010), de Lee Chang-dong.
09) A Árvore da Vida [The Tree of Life, EUA, 2009], de Terrence Malick.
10) Namorados Para Sempre [Blue Valentine, EUA, 2010], de Derek Cianfrance.

Melhor Brasileiro

- Trabalhar Cansa [Brasil, 2011], de Juliana Rojas, Marco Dutra.

O fato mais importante do ano do ponto de vista cinematográfico

- Mostra Hitchcock no Cinesesc.
- Mostra Cronenberg no CCBB.
- Mostra Takashi Miike no CCBB
.

O filme mais importante do ano

- No cinema: Vermelho, Branco e Azul (Simon Rumley, 2010).
- Em DVD: Dillinger Está Morto (Marco Ferreri, 1969).
- No computador: Drive (Nicolas Winding Refn, 2011).



Tio Boonmee...


9 - Marcelo Lyra

01) Tio Boonmee, que Pode Recordar suas Vidas Passadas [Lung Boonmee Raluek Chat, Tailândia, 2010], de Apichatpong Weerasethakul.
02) Cópia Fiel [Copie Conforme, França/Itália/Irã, 2010], de Abbas Kiarostami.
03) Além da Vida [Hereafter, EUA, 2010], de Clint Eastwood.
04) Submarino [Dinamarca/França, 2010], de Thomas Vinterberg.
05) A Árvore da Vida [The Tree of Life, EUA, 2009], de Terrence Malick.
06) Um Lugar Qualquer [Somewhere, EUA, 201o], de Sophia Coppola.
07) O Dia em que Não Nasci [Das Lied in Mir, Alemanha, 2010], Florian Cossen.
08) Bravura Indômita [True Grit, EUA, 2010], de Joel e Ethan Coen.
09) Trabalhar Cansa [Brasil, 2011], de Juliana Rojas, Marco Dutra.
10) O Garoto da Bicicleta [Le Gamin au Vélo, Bélgica 2011], de Jean-Pierre e Luc Dardenne.

Melhor Brasileiro

- Trabalhar Cansa [Brasil, 2011], de Juliana Rojas, Marco Dutra.

O fato mais importante do ano do ponto de vista cinematográfico

- Mostra Hitchcock no Cinesesc.

O filme mais importante do ano

- Rastros de Ódio (John Ford, 1956) – revisão.



Meia-Noite em Paris


10 - Rogério Ferraraz

Como vi poucos (pouquíssimos) filmes em 2011, não tenho condições de elaborar uma lista dos 10 melhores em geral, nem apontar qual o melhor brasileiro.
Dos filmes que vi, os 3 que eu achei mais interessantes foram:

Melhores do Ano

01) Meia-noite em Paris [Midnight in Paris, EUA/Espanha, 2011], de Woody Allen.
02) A Pele que Habito [La Piel que Habito, Espanha, 2011], de Pedro Almodóvar.
03) Super 8 [EUA, 2011], de J.J. Abrams.

O fato mais importante do ano do ponto de vista cinematográfico

- Mostra Hitchcock no Cinesesc.
- Mostra Cronenberg no CCBB.
- Mostra Takashi Miike no CCBB.
- Cinema de Bordas no Itaú Cultural
.

O filme mais importante do ano

- Se Nada Mais Der Certo [Brasil, 2009], de José Eduardo Belmonte.



Melancolia


11 - Rogério de Moraes

Melhores do Ano

01) Melancolia [Melancholia, Dinamarca/Suécia/França/Alemanha, 2011], de Lars Von Trier.
02) A Pele que Habito [La Piel que Habito, Espanha, 2011], de Pedro Almodóvar.
03) A Árvore da Vida [The Tree of Life, EUA, 2009], de Terrence Malick.
04) Cópia Fiel [Copie Conforme, França/Itália/Irã 2010], de Abbas Kiarostami.
05) Balada do Amor e do Ódio [Balada Triste de Trompeta, Espanha/França, 2010], de Alex de La Iglesias.
06) Biutiful [México/Espanha, 2010], de Alejandro González Iñárritu.
07) Não Me Abandone Jamais [Never Let Me Go, Reino Unido/EUA, 2010], de Mark Romanek.
08) O Garoto da Bicicleta [Le Gamin au Vélo, Bélgica 2011], de Jean-Pierre e Luc Dardenne..
09) Incêndios [Incendies, Canadá/França, 2010], de Denis Villeneuve.
10) Isto Não É um Filme [This is Not a Film/ In Film Nist, Irã, 2011], de Jafar Panahi.
Melhor Brasileiro

- Estrada Para Ythaca [Brasil, 2010], de Guto Parente, Luiz Pretti, Pedro Diógenes, Ricardo Pretti.

O fato mais importante do ano do ponto de vista cinematográfico

- Mostra Hitchcock no Cinesesc.

O filme mais importante do ano

- O Bandido da Luz Vermelha, de Rogério Sganzerla.